Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

PRAÇA JÚLIO PRESTES, Nº 16
01218 020 | SÃO PAULO - SP
+55 11 3367 9500
SEG A SEX – DAS 9h ÀS 18h
ENSAIOS
"Não Quero me Repetir"
Autor: Entrevista de Jörg Widmann a Gabriela de Souza
09/ago/2022
Versátil, intrigante, aclamado, fascinante: são alguns dos adjetivos atribuídos ao clarinetista, regente e compositor alemão Jörg Widmann, cujas peças, em 2018, estiveram dentre as mais executadas no mundo e, em 2019-20, foram a atração de toda a temporada do Carnegie Hall. Vencedor de vários prêmios importantes ao longo de sua trajetória como clarinetista e compositor, regente requisitado internacionalmente, o compositor visitante Jörg Widmann também se apresenta na Sala São Paulo nesta Temporada de 2022 como regente da Osesp, como solista de uma de suas peças para clarinete e como participante especial de um programa do Quarteto Osesp.
 
Entre o Jazz e a Música Erudita
Autor: Entrevista de Alexandre Silvério a Gabriela de Souza
05/ago/2022
Alexandre Silvério, primeiro fagote da Osesp, tem 46 anos e começou a estudar o instrumento aos 14. Há mais de duas décadas na Orquestra, ele conta sobre sua trajetória de estudante e profissional, suas influências e ídolos, o período na Alemanha, o quinteto Camaleon Bassoons e como é ser músico de jazz e de música erudita ao mesmo tempo.
 
O Modernismo: um clima estético e psicológico
Autor: Alfredo Bosi
14/jul/2022
É claro que, à medida que nos aproximamos da Semana, são as inovações formais que nos vão atraindo, isto é, aquele espírito modernista, stricto sensu, que iria polarizar em torno de uma nova expressão artistas como Anita Malfatti, Victor Brecheret, Di Cavalcanti, Villa-Lobos, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Menotti del Picchia, Sérgio Milliet, Guilherme de Almeida, Manuel Bandeira. E é em face desse clima de vanguarda que se constata uma viragem na literatura brasileira já nos anos da I Guerra Mundial.
 
“Água Pura Gelada”: a Música de Sibelius
Autor: Laura Ronái
05/jul/2022
Quando Jean Sibelius completou 70 anos, um grande banquete foi organizado em sua homenagem. Entre os convidados estavam todos os antigos presidentes da Finlândia ainda vivos e os primeiros-ministros da Dinamarca, da Noruega e da Suécia. Essa ilustre companhia dá bem a medida da importância deste compositor que passou a ser símbolo da identidade musical finlandesa e figura de proa dentre os compositores escandinavos, mas ainda não reflete a dimensão internacional que seu nome viria alcançar.
 
Sibelius: uma visão do futuro
Autor: Entrevista de Thierry Fischer a Arthur Nestrovski
30/jun/2022
Com a Osesp, o Diretor Musical e Regente Titular da Orquestra, Thierry Fischer, quer explorar a complexidade, o mistério e a modernidade da música de Jean Sibelius.
 
Sozinho
Autor: Paul Griffiths
18/mai/2022
Esta é uma ocasião especial. O violino, acostumado a ouvir outros instrumentos abaixo do Sol Médio, que é o limite de sua extensão inferior, agora está só. E o violinista, normalmente um parceiro ou uma estrela num grande grupo, está sozinho.
 
Em busca de uma linguagem
Autor: Entrevista de Jimmy López a Gabriela de Souza
24/mar/2022
Um dos compositores jovens mais promissores do mundo, vencedor de inúmeros prêmios, o peruano Jimmy López passou por duas crises estéticas até começar a encontrar seu estilo e identidade musicais. "Ephemerae", concerto para piano e orquestra inspirado em notas de fragrâncias, terá estreia latino-americana na Sala São Paulo.
 
Um Clássico Popular
Autor: Diego Fischerman
24/mai/2021
(...) Talvez por seu infalível ouvido “popular”, por imaginar-se a si mesmo como intérprete — inclusive nas obras que não o tinham como protagonista — e diferentemente de muitos dos experimentos realizados durante a segunda metade do século XX para estilizar músicas de tradição popular e colocá-las na órbita do concerto clássico, a música de Piazzolla, mesmo a mais intrincada, sempre soa natural. Sempre tem a fluidez da improvisação, do assobio das ruas, do músico popular, do saber do povo.
 
Saint-Saëns, o compositor viajante
Autor: Stéphanie Leteuré
23/mai/2021
Na primavera de 1890, a imprensa parisiense se preocupava com o inexplicado desaparecimento de Camille Saint-Saëns. O compositor abandonara definitivamente sua residência na rua Monsieur-le-Prince, não fornecera nenhum endereço ofi cial, legara à cidade de Dieppe [no norte da França] suas coleções particulares e pusera sua biblioteca musical em depósito na Casa Érard [célebre loja de fábrica de pianos, em Paris].
 
Figuras parisienses: Camille Saint-Saëns
Autor: Marcel Proust
22/mai/2021
“É um gênio, diz uma velha lenda, mas um gênio burlão. Rei dos espíritos da música e do canto, ele possui todos os segredos, e mesmo aquele, tão logo queremos nos aproximar dele, de fugir para o mais longe, sempre incapturável.”
 
Governo do Estado de SP