Este é o Novo Site da Osesp
Estamos em fase de testes, se tiver problemas, por favor, contate-nos pelo e-mail faleconosco@osesp.art.br.
Conheça também os novos sites da Sala São Paulo e Fundação Osesp!
Temporada 2014
setembro
s t q q s s d
<setembro>
segterquaquisexsábdom
25262728293031
1 23 4 5 6 7
8910 11 12 13 14
151617 18 19 20 21
2223 24 25 26 27 28
293012345
jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez
  • Osesp Itinerante 2014 - Setembro (Bloco 2)
  • Ciclo Stravinsky Além da Sagração - Temporada 2014 / Setembro 1
  • Concerto Digital Osesp - Setembro 2014 - vídeo disponível - português
CONCERTOS PARA VIOLONCELO DE HINDEMITH E WALTON
A Osesp acaba de lançar mais um CD pela gravadora BIS. Desta vez, a Orquestra interpreta os concertos para violoncelo de Paul Hindemith e William Walton, com solos do violoncelista alemão Christian Poltéra e regência do maestro britânico Frank Shipway.

O CD inclui ainda a Passacaglia Para Violoncelo Solo de Walton, e a Sonata Para Violoncelo Solo de Hindemith, ambas interpretadas por Poltéra.

O Concerto de Walton “[…] abre com o acompanhamento de um tique-taque obsessivo, cujas notas são traduzidas pelo solista numa longa e bonita melodia. Há um contraste forte entre o romantismo do violoncelo e a tensão ao seu redor. O movimento central é vivo, sem que Walton abra mão dos interlúdios líricos.
Já o último movimento é um grupo de variações que dura tanto quanto os dois movimentos anteriores juntos. A segunda variação dá ao violoncelo a chance de uma cadência, e o Concerto encerra com a relembrança do tique-taque inicial. Nesse momento, o violoncelo entra dois compassos “atrasado”, como que perdido na poesia do momento.” Trecho da nota de programa de Carlos Haag, publicada na edição jun/jul da Revista Osesp 2013.

Sobre o Concerto de Hindemith, Irineu Fraco Perpetuo fala em nota de programa da edição de maio da Revista Osesp 2012: “Virtuosístico e extrovertido, o concerto brinca com a interação entre solista e orquestra: em muitos momentos, o violoncelo parece discordar do que os outros instrumentos estão fazendo; em outros, solista e tutti parecem falar a mesma língua. Está dividido em três movimentos: o primeiro traz uma fanfarra, com escrita brilhante para os metais, possivelmente inspirada pela excelência dos naipes da Sinfônica de Boston naquela época; o segundo é lírico, com uma rápida tarantela no meio; e o derradeiro traz uma marcha que teria sido escrita no século XVIII, pela Princesa Ana Amália, da Prússia (1723-87).”

A Osesp lançou em em 2012, também sob regência de Frank Shipway e pela gravadora BIS, o CD Sinfonia Alpina de Richard Strauss, que recebeu boas críticas na mídia internacional, incluindo BBC Music Magazine, Gramophone, Audiophile Audition, Classical Music Sentinel. Saiba mais sobre esse CD.

Escute trechos e saiba mais sobre o disco Walton | Hindemith - Cello Concertos
PROJETO SINFONIAS DE VILLA-LOBOS
Heitor Villa-Lobos foi o compositor mais importante de toda a história da música sinfônica brasileira. Sua obra fascina pela técnica, pelas sonoridades inusitadas e pela poética brasileira. Com enorme talento e facilidade para compor, escreveu mais de mil obras e nunca as revisou. Dizia que, com o tempo que levaria para revisar uma peça, compunha muitas outras. Diante desta vasta produção e sem as devidas revisões, os intérpretes sempre encontraram o material orquestral em condições pouco favoráveis.

A Osesp, em parceria com o maestro Isaac Karabtchevsky, deu início a um importante projeto de edição e revisão musicológica de todas as sinfonias de Villa-Lobos, incluindo ainda algumas obras orquestrais esquecidas. Em parceria com a Naxos, as peças estão sendo gravadas e lançadas comercialmente num empreendimento de alcance mundial e importância única: a promoção da grande obra sinfônica de Heitor Villa-Lobos, proporcionando à comunidade musical internacional a possibilidade de conhecê-la melhor e de executá-la sobre bases mais sólidas e seguras.

Antonio Carlos Neves Pinto é coordenador do Centro de Documentação Musical e da Editora Criadores do Brasil.
TEMPORADA 2014 CELEBRA 60 ANOS DA OSESP
Casa de várias gerações de músicos e regentes, a Osesp teve como maior motivação em seus 60 anos de história a busca pela excelência musical e a democratização da música de concerto.

Para celebrar essa trajetória, a Temporada 2014 traz 37 semanas de concertos na Sala São Paulo, com programas da Orquestra, de grupos de câmara, recitais e do Coro da Osesp, além de turnês por cinco cidades paulistas, em fevereiro, e por seis capitais brasileiras, em agosto.

Mais de 70 regentes e solistas convidados participarão da Temporada. O Artista em Residência será o pianista francês Jean-Efflam Bavouzet; o Compositor Visitante, o escocês James MacMillan; e o Compositor Transversal, Leonard Bernstein.

Em 2014, o Coro da Osesp completa 20 anos e, além de apresentar uma série de concertos especiais na Sala São Paulo e pelo Estado, a integrante Mariana Valença, que integra o Coro desde sua formação, será homenageada.

Cinco compositores brasileiros terão estreia de obra encomendada pela Osesp: Alexandre Lunsqui, Celso Loureiro Chaves, Egberto Gismonti, Ronaldo Miranda, Sergio Assad. Também terão estreia um arranjo de Dori Caymmi para obra de Dorival Caymmi e uma co-encomenda internacional ao norte-americano John Adams, considerado um dos maiores compositores da atualidade.

Confira todos os detalhes da Temporada 2014.